Tropicália FM – 104,9

A nossa Rádio

A Rádio

Logo-tropicalia-2016

Tropicália Fm 104,9 MHZ –  A Nossa Rádio – Macaúbas- Bahia

 

ZYS 633, Canal: 285 – Rádio Tropicália FM 104,9 MHZ- “A Nossa Rádio”

Localizada na cidade de Macaúbas- Bahia

Licenciada em 26-10-2007

CNPJ: 02.457.801/0001-06

Fone: (77)  9 9995 – 7082

Email: tropicaliafm@gmail.com

E-mail: contato@tropicaliafm.com.br

 


Criação da Tropicália FM em 1995 por Thony Ghil

Print

Funcionou pela 1ª vez em caráter experimental no ano de 1995 à rua das Pedras, o local era baixo e o sinal, não estava bom, então mudou-se para rua Doutor Manoel  Vitorino, casa alugada de Zé Pimenta, posteriormente de Jucélio da Papelaria do Estudante, defronte ao Antigo CEAS- Hoje, CETEP! Ali fixou a sede da Tropicália Fm de Thony Ghil, com assistência técnica de Didi e apoio de TonyElly Bar de Elinho, irmão de Thony.

Frente da sede da Tropicália – início da rádio 1995

Thony e Cantor Nagib 1995- Fundacao-da-radio

Thony e Cantor Nagib 1995 – Fundação da rádio

 A rádio cedeu espaço gratuitamente para a sede do Bloco Mordomia, começando uma parceria de sucesso.  

O transmissor era artesanal e dava muito trabalho, quase todo final de semana recebia ajustes. Naquele ano, a emissora padronizou o som das barracas no São João- O prefeito de Macaúbas, era João Sales. Depois, a emissora  mudou-se para Rua Vermelha, juntamente com o bloco Mordomia. Onde a Polícia Federal e os agentes do Ministério das Comunicações, lacraram o transmissor pela 1ª vez, fechando a Rádio. Começou aí uma batalha judicial por Thony Ghil.

Em 1995, trabalharam na rádio: Thony Ghil, Mara Degasperes, Adriano Novais, Emílio Rêgo, Paulo Rego, Francisco Oliveira”Bingo, Aldo Oliveira, José Pires, Áureo Brandão, Elsinho Moreno, Edson Figueiredo“Cuia”, Sérgio Morais, Rosenilto Defensor”Nito”, Dé Km, João Ricardo””Máster” , Erasmo Conceição , Rosemilson Roque, Jackson Figueiredo, Marcelo Duda e Professor Olívio. “Quase todos, voluntários”

Em 1º de agosto de 1996 Thony contratou a ABRACON- Associação Brasileira dos Meios de Comunicação de Baixa Potência para dar legalidade à rádio e criou o 1º conselho fiscal, sendo José Hélio Roque Rego o presidente do Conselho e Francisco Rego Bastos “ Chico Padre”, o secretário. Com endereço na própria residência de Thony Ghil – Rua Arthur Antônio Costa-Rua da Câmara Municipal de Vereadores. Oficializando assim,  a primeira Ata registrada em Cartório, com presença de: Antônio José de Jesus Souza-“ Thony Ghil”  , Antônio Gomes da Silva, Francisco Oliveira “Bingo”, Áureo Brandão, Carlinda Maria de Souza, Maria Lília Pereira Oliveira, Francisco Rego Bastos, José Hélio Roque Rego  e Irmãs Passionistas.

O dinheiro era vindo do pai de Thony Ghil, João José de Souza, que também acreditou no sonho do filho. O  contrato de compra e venda de equipamentos  fixou-se em São Paulo em 15-07-1996. Onde Thony e seu pai, estiveram na sede da ABRACON, na Avenida Jabaquara 1136, no Shopping amigo Jordão, por diversas vezes.

A empresa contratada era de responsabilidade de Antônio Gomes da Silva de São Paulo para cuidar de todo processo. O custo inicial: R$ 3.460,00, com a aparelhagem. Antônio Gomes veio em Macaúbas, foi a Salvador-Ba e mandou colocar a rádio no ar, que estava legalizada.

 A nova sede foi instalada na Rua São João, numa casa alugada de Amilton da Construtora Silveira.

Para cobrir as despesas dessa nova papelada, Thony conseguiu o apoio dos cidadãos:  João Sales – prefeito na época, Moacir Silva Santos, Lindolfo A. Santos, Rubenvado Magno, Marcos Ricardo F. Pinto, Genivaldo Guedes e José Oseas.  

Não demorou muito, a Polícia Federal e os agentes  retornaram e lacraram a Rádio de novo. Em 22- de agosto de 1996, Marcos Ricardo Figueiredo Pinto, assinou como testemunha, pois quando ele soube que os agentes do Ministério das Comunicações estavam lacrando a rádio Tropicália, reuniu os amigos e foram correndo para tentar impedir, mas não teve jeito. Os inimigos de Macaúbas e o alto poder político, não queriam a Rádio Comunitária em Macaúbas. Na época tinha até um político, filho de Macaúbas, que falava nos bares, que vestia saia se a rádio de Thony Ghil saísse.  Após alguns meses, Thony, recolheu os aparelhos e os guardou em sua residência.

A partir daí, foram vários mandados de intimação a Thony Ghil em Macaúbas e em Salvador, por 5 anos. Respondeu o processo com dignidade, compareceu a todas as audiências no Fórum de Macaúbas e na Polícia Federal de Salvador e, ganhou o processo.

Thony Ghil voltou-se para os estudos e, anos depois, recomeçou a luta para conseguir a licença da emissora. Toda documentação que era enviada, sumia no Ministério das Comunicações, inúmeras vezes.

Ao longo dos anos, A rádio ganhou adesão de Walter Pinheiro, relator da Legislação das rádios comunitárias. Socorro, sua assessora, foi fundamental para protocolar os documentos,  já que pelos correios, o processo não andava. Tinha gente de um deputado, trabalhando contra a rádio, dentro do Ministério das Comunicações. Porém por meio de Walter Pinheiro, a farsa foi descoberta, e passamos, a saber, quem era o grupo de políticos que falsificou a assinatura de Thony Ghil, encaminhando documentos esdrúxulos ao Ministério das Comunicações. Walter Pinheiro nos enviara uma cópia do documento falsificado. Que está também na sede da rádio. Tudo ficou mais claro e então a esperança cresceu. Um desses, está anexo na história da Tropicália FM e todos os cidadãos podem ver no site! Esse documento pedia a desistência da outorga da rádio. (Falsidade ideológica) Veja abaixo: 

Doc

Cópia do documento falsificado

 Todo processo foi reaberto. Uma nova papelada foi feita. A luta foi longa e árdua…!

 O reinício dos trabalhos

  1. Reunião na residência de Thony Ghil- Rua Arthur Antônio Costa- Rua da Câmara Municipal de Vereadores. Convidados: alguns cidadãos e Pastoral da Criança!
  2. Reunião na Fundação Cultural Professor Ático
  3. Reunião na residência de Moacir Silva Santos.
  4. Reunião na residência de Marcos Ricardo Figueiredo Pinto.
  5. Reunião na residência do professor  Lindolfo  A. Silva Santos.
  6. Reunião na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Macaúbas

Outras tantas reuniões aconteceram nos mesmos locais, para viabilização da documentação, antes da formação do estatuto da Associação.

Antes de oficializar totalmente, a rádio funcionou ainda no prédio de seu Rouxinho – na Rua Castro Alves, em cima da Ciclo Chaves e a torre montada por Nicolau, fabricada por Zé Bastos Silva, ficava do outro lado em cima do prédio de Marquinhos de Gileno.

De novo a Rádio foi ao ar em caráter experimental. A Anatel e polícia voltaram a nos perseguir, mas como faltava muito pouco para obtermos a licença, a desligamos, por um tempo, até a concessão definitiva. E Finalmente no dia 16 de março de 2006, o então Ministro das Comunicações – Hélio Costa, assinou a portaria n° 91 de autorização da execução do serviço de radiodifusão à nossa Associação, por 10 anos. Em 26-10 de 2006, a boa notícia, a outorga saiu e começamos a providenciar recursos com os amigos para a sua instalação- A Lista você confere mais abaixo.

Em 26-10 de 2007 a concessão definitiva. Tiramos a torre do prédio de Marquinhos e a instalamos no quintal de Gileno Pinto, espaço cedido gratuitamente. O estúdio foi montado ainda na casa do seu Rouxinho, ao fundo da Ciclo Chaves e, anos depois, todo departamento mudou-se  para a Rua-Frei Luiz Maria 238- Bairro Alto do Cruzeiro, onde funciona a sede, até hoje. Desta vez Anderson e Alexandre de Ibipitanga, foram os responsáveis pela instalação da torre e o sinal no ar.

Agradecemos a todos, de coração e alma!

Assembleias iniciais:

1ª Assembleia Geral e Ata de Fundação da Associação Comunitária de Comunicação Social “ACCS”30 de julho de 1996

  • Antônio José de Jesus Souza “Thony Ghil”
  • Moacir Silva Santos-
  • Francisco Figueiredo Oliveira
  • Rubenvaldo Magno Oliveira
  • Cidadãos que participaram da 1ª Assembleia:
  • Antônio José de Jesus Souza “Thony Ghil”
  • Moacir Silva Santos
  • Lindolfo Antônio Silva Santos
  • Francisco Figueiredo oliveira
  • Rubenvaldo Magno Oliveira
  • Marcos Ricardo Figueiredo Pinto.
  • Waldemar Ribeiro de Moura Filho.
  • Edgar José da Mata.
  • Hélio da Silva Mata.
  • Francisco Silva Figueiredo.
  • Francisco Bastos Magalhães Filho.
  • Kátia Cristina Vaz rocha Matos.
  • Leila de Fátima Oliveira Pereira Oliveira
  • Ático Villas Boas da Mota
  • Valmir Conceição dos Santos
  • José Oseas Figueiredo Pinto

2ª Assembleia Geral, Eleição e posse da 1ª Diretoria da Associação Comunitária de Comunicação social”ACCS”05 de janeiro de 1997 

  • Antônio José de Jesus Souza “Thony Ghil” 1° Presidente
  • Moacir Silva Santos- “1º Vice-presidente
  • Francisco Figueiredo Oliveira-1º Secretário
  • Rubenvaldo Magno Oliveira- Tesoureiro.
  • Participantes:
  • Antônio José de Jesus Souza “Thony Ghil”
  • Moacir Silva Santos
  • Lindolfo Antônio Silva Santos
  • Francisco Figueiredo oliveira
  • Rubenvaldo Magno Oliveira
  • Marcos Ricardo Figueiredo Pinto.
  • Waldemar Ribeiro de Moura Filho.
  • Edgar José da Mata.
  • Hélio da Silva Mata.
  • Francisco Silva Figueiredo.
  • Francisco Bastos Magalhães Filho.
  • Kátia Cristina Vaz rocha Matos.
  • Leila de Fátima Oliveira Pereira Oliveira
  • Ático Villas Boas da Mota
  • Valmir Conceição dos Santos
  • José Oseas Figueiredo Pinto.

Após anos de luta, um novo passo:

1ª Assembleia Geral Extraordinária em 12-07-2005 – Mudança de Estatuto.

Participantes:

  • Antônio José de Jesus Souza “Thony Ghil”
  • Moacir Silva Santos
  • Lindolfo Antônio Silva Santos
  • Francisco Figueiredo oliveira
  • Rubenvaldo Magno Oliveira
  • Marcos Ricardo Figueiredo Pinto.
  • Waldemar Ribeiro de Moura Filho.
  • Edgar José da Mata.
  • Hélio da Silva Mata.
  • Francisco Silva Figueiredo.
  • Francisco Bastos Magalhães Filho.
  • Kátia Cristina Vaz rocha Matos.
  • Leila de Fátima Oliveira Pereira Oliveira
  • Ático Villas Boas da Mota
  • Valmir Conceição dos Santos
  • José Roberto Azevedo
  • Alan José Alcântara de Figueiredo
  • José Oliveira Cardoso
  • José Bastos da Silva
  • Erivaldo Madureira

2016- 9 anos no ar – Thony Ghil- Diretor Geral da Tropicália Fm 104,9 de Macaúbas.

A origem e o porquê do nome Tropicália:

ZYS -633- CANAL- 285- RÁDIO TROPICÁLIA FM 104,9 MHZ

 A Tropicália, Tropicalismo ou Movimento Tropicalista, foi um movimento cultural brasileiro que surgiu sob a influência das correntes artísticas de vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira (como o pop-rock e o concretismo); mesclou manifestações tradicionais da cultura brasileira a inovações estéticas radicais. Tinha também objetivos sociais e políticos, mas principalmente comportamentais, que encontraram eco em boa parte da sociedade, sob o regime militar, no final da década de 1960. O movimento manifestou-se principalmente na música (cujos maiores representantes foram Caetano Veloso, Torquato Neto, Gilberto Gil, Os Mutantes e Tom Zé); manifestações artísticas diversas, como as artes plásticas (destaque para a figura de Hélio Oiticica), o cinema (o movimento sofreu influências e influenciou o Cinema novo de Gláuber Rocha) e o teatro brasileiro (sobretudo nas peças anárquicas de José Celso Martinez Corrêa). Um dos maiores exemplos do movimento Tropicalista foi uma das canções de Caetano Veloso, denominada exatamente de “Tropicália”.
Em Macaúbas a Tropicália nasceu do idealismo do jovem Macaubense “Thony Ghil”, Hoje,  empreendedor,  radialista profissional inscrito na DRT: 3.250 e escritor, autor de cinco livros.

A Rádio Tropicália Fm, está  no ar, todos os dias. Conta com uma Biblioteca Pública com um acervo de cerca de 5 mil exemplares doados por cidadãos conscientes da cultura literária,  que podem ser levados para a leitura em casa; gratuitamente.  “ Sua implantação foi incentivada pelo Bancário: Chiquinho, irmão de Thony”

Biblioteca Tropicalia (2)

Biblioteca Pública Tropicália

A Tropicália Fm, Presta serviços gratuitos à comunidade e cidadãos em todas as esferas. É aberta a todos, sem discriminação de cor, raça, religião e ideologia política.

Há 7 anos a Tropicália FM e Thony Ghil  se destacam em 1º lugar, a rádio em audiência e Thony  como radialista-diretor e repórter de rádio pela pesquisa de opinião pública .

Viva a democracia em pleno ar, com a equipe:
Thony Ghil , Moacir Silva Santos, Rubenvaldo Magno Oliveira “Rubinho” Nésia Almeida, e Aninha di Macedo.

O Logotipo da rádio, “o Papagaio”, foi ideia de Thony, para representar o Tropicalismo e o Brasil Tropical. O desenho foi feito pelo artista Heubert Santana Figueiredo “” Beto . O slogan: “A nossa rádio,” foi criação de Adeilson Santos.

Logo-tropicalia-2016

Logo da Tropicália FM

Moacir Silva, Thony Ghil,  Marquinhos de Gileno, Professor Lindolfinho, Francisco Oliveira “Bingo” e Rubenvaldo Magno”Rubinho”, Foram os que mais acreditaram que O Sonho da Rádio Democrática Tropicália Fm, era Possível em Macaúbas. Com o apoio de Walter Pinheiro e de Socorro. Pois, quando a Polícia Federal e a Anatel lacraram a rádio pela 2ª vez, quase todos desapareceram, com medo.”

Ao Longo da história da Tropicália FM, muitos são os colaboradores com serviços voluntários. Alguns remunerados de acordo com o estatuto.

  • Thony Ghil
  • Moacir Silva
  • Rubenvaldo Magno
  • Aninha di Macedo
  • Nésia Almeida
  • Jéssica Magalhães
  • Anne Caroline
  • Ricardo Oliveira
  • Rafaela Almeida
  • Sandra Santos
  • Manuela Souza
  • Diorge Dárlon
  • Jeremias Macedo
  • Zacarias Jorge
  • Camila Cunha
  • Monalisa Carvalho
  • Cássio Bastos
  • Ádria Emanuela
  • Selma Figueiredo
  • José Morais
  • Maria Elaine
  • Thiago do Studio.com
  • Carlos- Vocalista da Banda Máster
  • Tamíres Figueiredo
  • Adeilson Santos
  • Janeide Lavínia
  • Apoio para implantação da Tropicália Fm em 07-06 de 2006: Antes da rádio ir ao ar:
  • Marcílio Leite oliveira
  • Marcos Ricardo Figueiredo pinto
  • José Roberto Azevedo
  • Nilvando Oliveira Costa
  • Antônia Bianca M. Costa
  • Francisco José de Jesus Souza
  • Maria de Lurdes Souza
  • Denílson da Silva Santos
  • João da Pupila Ótica
  • Rita e Daniel- Comercial Betânia
  • Cosme e Damião
  • Daniela e Neto nogueira
  • Lindolfo Santos
  • Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Macaúbas
  • Yara Apostollos
  • Professor Jonato
  • Jucélio da Papelaria do Estudante
  • João Silva Souza(Travolta de Betânia)
  • Gil do Salão do Gil
  • Carlinhos Portela
  • Marciel Costa
  • Gilvan da Vidraçaria Artística
  • Renato Pereira Souza
  • Neudy Figueiredo da Costa
  • Gilberto Augostinho da Silva
  • Padre Osvaldo
  • Neusa Códova
  • Zacarias Jorge de Oliveira
  • José Carlos-CAR
  • Ana Nogueira
  • Marcelo Nogueira
  • Juracy Pereira
  • Maria Margarida de Souza
  • Sinho e Zé Marques
  • Francisca Maria de Jesus
  • Moacir Silva Santos
  • Thony Ghil
  • Rubenvaldo Magno
  • Valfrido Anjos
  • Aloysio Figueiredo
  • Gildásio da Vidro Fotos
  • Nilson Amaral Oliveira
  • José Carlos Roque Oliveira
  • Luis Apostollos
  • Gilberto do Rego Souza
  • Igreja Universal
  • Igreja Nossa Senhora Imaculada Conceição
  • Edigar da Mata
  • Major Antônio Alves Bonfim
  • Valmir Conceição dos Santos
  • Mônica Maria Santana Dantas
  • Alcione Dalmo
  • Zezito Alcântara
  • Hélio Santana de Oliveira
  • Roni da Minigráfica
  • Ana da Lavanderia Roupas Claras
  • Jorge de Oliveira
  • APLB-Macaúbas
  • Maurício Leite Oliveira
  • José Almir-Bigfarma
  • José Conceição Oliveira
  • Juliano do Comercial Juliano e Rosana
  • Saldanha motos
  • Nem da Avon
  • Lange da Lange Modas
  • Ednaldo Figueiredo Costa
  • José Roberto Souza
  • Erasmo Conceição de Oliveira
  • Ismael José da Silva
  • José Raílton da Silva Rego
  • Alex Figueiredo Pinto
  • Ercílio Rego
  • Paulo Soares
  • Paulo Rocha
  • Marcelino Leite Oliveira
  • Tico
  • Antônio Todão
  • Jair da Gm
  • José Bastos
  • Gileno Pinto
  • Padre Joaozinho
  • Walter Pinheiro
  • Socorro Assessora, em Brasília.
  • Zequinha da Jurema
  • Anderson e Alexande de Ibipitanga
  • Aloysio e Edmilson da Casa do agricultor
  • Adeison Santos
  • José Francisco de Souza
  • Nicolau Eletricista
  • Guiomar Silva de Figueiredo
  • Alan José Alcântara de Figueiredo
  • Ático Villas Boas da Mota
  • A rádio recebeu mais apoio, quando entrou no ar:
  • Elinho José de Jesus Souza
  • Carmelita Luzia de Jesus Souza
  • Mauro Leite Oliveira
  • Denilde Silva Santos
  • José Morais Figueiredo
  • Amarilson José Gomes de Oliveira
  • João Figueiredo Vaz
  • José Primo Roque
  • Cássio Silva Bastos
  • Edson Oliveira Figueiredo
  • José Elcio Santos
  • Jurandy  Chaves Pereira
  • Zé Chaves
  • Mário César Oliveira
  • Samuel Pereira Etinger
  • Carlinda Maria de Souza
  • Joaquim Moises Santos
  • Robério Defensor Meneses
  • Félix de Oliveira
  • Leandro Pereira Etinger
  • Regina Silva Pires da Silva
  • Joselita Cardoso sant’Ana
  • Maria Raimunda Conceição Magalhães
  • José Airines Vaz
  • Padre Isaías Afonso Silva
  • Raimundo João Gonçalves
  • Ana Maria dos Santos
  • João sem freio

A Tropicália Fm Realizou  em 23-03-208- Uma grande festa  na sede para comemorar sua implantação: Com Festival de músicas, concurso de Danças, Show de calouros, distribuição de cestas básicas, brindes e shows com cantores da terra: Banda Mucambo,  Duquinha e Banda, Wandinho e Forró Dobrado!

Publico da festa de 1 ano da radio

Público da festa de 1 ano da rádio

Banda Mucambo-Apresentacao de lancamento na festa de um ano da radio

Banda Mucambo. Apresentação de lançamento na festa de um ano da rádio


 

A rádio realizou nos anos de: 2013, 2014 e 2015 campanhas de arrecadação de alimentos, roupas, brinquedos e outros artigos;  às famílias menos favorecidas de Macaúbas- Doações feitas por cidadãos e ouvintes!

Distribuicao de cestas basicas

Distribuição de cestas básicas

Campanha Solidaria de 2015-1

Campanha Solidária de 2015